Digite a senha



Digite a senha



O que deseja fazer?



Recuperação de senha



Área do aluno

Seroma

Você está localizado em: Home » Seroma



SEROMA


O Seroma é definido como o acúmulo de líquido, produzido como reação a danos nos tecidos e vasos sanguíneos (exsudato), localizado sob retalhos cutâneos ou no espaço morto após o procedimento cirúrgico, sendo caracterizado pela presença de área de flutuação.

Em cirurgias oncológicas a ressecção dos gânglios e vasos linfáticos faz com que líquido linfático fique pingando na região cirúrgica, desse modo ocorre o acúmulo desse fluido linfático.

O tratamento do seroma pode ser iniciadono  intraoperatório com algumas condutas que visam a prevenção, tais como:

-Dreno de sucção

-Anastomose linfovenosa

-Suturas com diminuição de espaço morto

-Uso de matriz dérmica acelular

-Técnicas cirúrgicas mais conservadoras

-Entre outras;

Existem também os cuidados pós operatórios, que visam o não aparecimento ou uma melhor absorção deste líquido. Dentre estes cuidados estão: punção aspirativa, curativos, conduta expectante, terapia compressiva e outras modalidades. O ideal é usar os sutians ou macaquinhos compressivos no pós cirúrgico.

Na literatura acredita-se que a redução da movimentação pode favorecer o colabamento dos coletores linfáticos e diminuir o fluxo linfático no coletor, mas alguns artigos mostram que a amplitude pode ser livre no pós operatório e seria indicado somente diminuir os movimentos repetidos e com carga.

A Fisioterapia pode atuar na prevenção e no tratamento do seroma através da compressão na área cirúrgica, fazendo com que haja uma diminuição do espaço morto, aumento da pressão intersticial, aumento da resistência da pele e prevenindo que o líquido acumule no espaço intersticial.

Os recursos usados pela fisioterapia são: enfaixamento, curativos, kinesiotaping e uso de placas espumadas externas (pads compressivos) sempre visando a terapia compressiva que irá otimizar diminuir o espaço morto, favorecer a cicatrização dos vasos linfáticos e aumentar a absorção de líquido acumulado no espaço cirúrgico.

A drenagem linfática dos braços, pernas e tronco nesses casos pode não ser a melhor opção nesse momento pois ao estimular os vasos linfáticos eles podem vazar linfa para a região aumentando o seroma.

 

Dra Jaqueline Munaretto Timm Baiocchi

Fisioterapeuta

Doutora em Oncologia

Presidente do Instituto Oncofisio

Especialista em fisioterapia em oncologia e saúde da mulher - COFFITO

 

 


 

Newsletter

Preencha seu e-mail e receba as novidades do Instituto Oncofisio em seu e-mail!

© 2010/2021 - Oncofisio: Todos os Direitos Reservados

O conteúdo deste site tem objetivo estritamente informativo. Em hipótese alguma substitui a consulta ou tratamento médico e fisioterapêutico.

Em caso de dúvida, procure seu médico ou fisioterapeuta.

Endereço: Rua Afonso Celso, nº 19 - Vila Mariana - CEP: 04119-000 - São Paulo - SP

Telefone: (11) 2659-7001