Digite a senha



Digite a senha



O que deseja fazer?



Recuperação de senha



Dispareunia e a Atuação da Fisioterapia

Você está localizado em: Home » Dispareunia e a Atuação da Fisioterapia



Muitas mulheres sentem dor durante a relação sexual e em alguns casos a dor pode acontecer antes ou após a mesma, podendo ser superficial e até profunda, com intensidade de um leve desconforto ou até mesmo a uma dor forte aguda. Esse sintoma é chamado de Dispareunia, é mais frequente do que se pensa, acometendo em torno de 50% das mulheres com vida sexual ativa.

A dispareunia pode ser:

  • Primária: acontece desde a primeira relação ou tentativa de relação sexual;
  • Secundária: as relações sexuais eram normais e, a partir de determinada época, passaram a causar desconforto/dor;
  • Situacional: ocorre apenas em determinadas ocasiões;
  • Generalizada: toda relação sexual tem algum tipo de desconforto.

A dispareunia pode ser causada por fatores orgânicos, psicológicos, físicos ou uma combinação desses fatores. Vamos entender um pouco melhor de cada fator:

Fatores Orgânicos

  • Climatério / Menopausa;
  • Endometriose;
  • Diabetes;
  • Infecção urinária;
  • Infecções genitais, como por exemplo candidíase;
  • Doenças de pele que acometem a região genital: foliculite, dermatite;
  • Doenças sexualmente transmissíveis;
  • Constipação intestinal;
  • Tratamentos pós câncer, como por exemplo a quimioterapia e a radioterapia.

Fatores Psicológicos

  • Dificuldade em compreender e aceitar a sexualidade de uma maneira saudável;
  • Crenças morais e religiosas muito rígidas;
  • Educação repressora;
  • Medos e tabus quanto ao contexto sexual;
  • Falta de desejo em fazer sexo com o(a) parceiro(a);
  • Traumas infantis relacionados à sexualidade;

Fatores Físicos:

  • Alteração anatômica;
  • Hímen fibrótico;
  • Estenose (estreitamento) da vagina;
  • Aderências de cicatrizes;
  • Presença de uma "película" na entrada da vagina;

A dispareunia é a queixa sexual mais comum entre as mulheres que são submetidas ao tratamento de câncer, independentemente da região acometida; uma vez que o mesmo pode levar a atrofia vulvovaginal, resultante do hipoestrogenismo ( baixa de hormônio feminino). Isto pode ser devido a menopausa induzida por cirurgia, quimioterapia ou radiação pélvica ou pode ser causada por terapia endócrina(hormonioterapia).

O Tratamento da dispareunia, em alguns casos, requer de uma equipe interdisciplinar, médico, psicólogo e fisioterapeuta.

A fisioterapia é de grande importância no tratamento da dispareunia, uma vez que detém de recursos físicos e manuais para o alivio e/ou a cura da mesma. O Profissional fisioterapeuta especializado na área da Fisioterapia pélvica ou oncológica, tem habilidade e competência para tratar, prevenir, orientar e proporcionar, através dos recursos fisioterapêuticos, propriocepção e conhecimento tanto da região pélvica quanto do corpo da mulher, melhorando a qualidade de vida sexual da mesma.

Os recursos utilizados, pelo fisioterapeuta, para o tratamento da dispareunia são:

Exercícios perineais

São exercícios que tem como objetivo normalização do tônus muscular. São utilizados tanto para o fortalecimento quanto para o relaxamento dos músculos perineais e para conscientização dos mesmos.

Terapia manual

Dentre os recursos manuais para o tratamento da dispareunia, destaca-se a massagem perineal, manobras miofasciais e dilatadores vaginais, com o objetivo de relaxamento e expansão do canal vaginal, quando necessário.

Eletroterapia

No caso de dispareunia, a eletroterapia tem como objetivo principal o alívio da dor e o relaxamento dos músculos do assoalho pélvico e melhora da circulação da região.

Terapia Comportamental

A terapia comportamental consiste em orientações de hábitos diários sobre dieta equilibrada, ingestão hídrica adequada, para o controle do peso e melhora da função intestinal e urinária.

Sentir e conviver com dor não é normal. Deve-se procurar o médico ginecologista para o diagnóstico da dispareunia, para que esse encaminhe a mulher para o tratamento fisioterapêutico.

Dra. Carla Pereira
Crefito 3/63531
Doutoranda - Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo
Mestre em Ciências da Saúde pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo .
Especialização em Fisioterapia em Gerontologia
Especialização em Fisioterapia Oncológica - FACIS
Especialista em Sexualidade Humana pela Faculdade de Medicina da USP
Professora Curso de Pós-Graduação : Especialização Sexualidade Humana - FMUSP
Professora do Centro Universitário UniiÍtalo
Fisioterapeuta do Serviço de Fisioterapia Pélvica - Santa Casa de São Paulo
Assist. Coordenação do Curso de Pós Graduação de Fisioterapia na Saúde da Mulher e do Homem da FCMSCSP
www.fisiocarlapereira.com

Newsletter

Preencha seu e-mail e receba as novidades do Instituto Oncofisio em seu e-mail!

© 2010/2017 - Oncofisio: Todos os Direitos Reservados

O conteúdo deste site tem objetivo estritamente informativo. Em hipótese alguma substitui a consulta ou tratamento médico e fisioterapêutico.

Em caso de dúvida, procure seu médico ou fisioterapeuta.

Endereço: Rua Joaquim Távora, 303 - Vila Mariana (CEP: 04015-000) - São Paulo - SP

Telefone: (11) 3255-4727

Desenvolvido por:

Grupo Uebtech - Soluções Empresariais