Digite a senha



Digite a senha



O que deseja fazer?



Recuperação de senha



O que é Linfocintilografia?

Você está localizado em: Home » O que é Linfocintilografia?



A linfocintilografia é um tipo especial de imagem de medicina nuclear que fornece imagens chamadas cintilografias do sistema linfático.

A medicina nuclear é um ramo da imagiologia médica que usa pequenas quantidades de material radioativo para diagnosticar e determinar a gravidade ou tratar uma variedade de doenças.
Os procedimentos de medicina nuclear são capazes de identificar a atividade molecular dentro do corpo, eles oferecem o potencial para identificar doença nas suas fases iniciais, bem como uma resposta imediata de um doente à intervenções terapêuticas.

Procedimentos de imagens de medicina nuclear são não-invasivos , com exceção de injeções intravenosas com materiais radioativos chamados radiofármacos ou radiotracers.
Dependendo do tipo de exame de medicina nuclear, o radiomarcador ou é injetada no corpo, ingerido ou inalado como um gás e se acumula no órgão ou parte do corpo a ser examinado.

Emissões radioativas de radiofármaco são detectados por uma câmera ou um dispositivo especial de imagem que produz imagens e fornece informações molecular. Os dispositivos de câmera ou de imagem especiais usados na medicina nuclear incluem a gama câmara e tomografia computadorizada por emissão de fóton único (SPECT). Com exames normais de raios-x, uma imagem é feita pela passagem de raios-x através do corpo do paciente e em seguidam criam-se imagens que oferecem detalhes sobre a estrutura e função dos órgãos e tecidos do corpo.

Vários radioisótopos têm sido empregados para a realização do estudo linfocintigráfico, porém o mais utilizado hoje é o Tecnécio-99 metaestável (Tc-99m), que é administrado mais freqüentemente como marcador da solução de Dextran 5005-7. O comportamento biocinético das partículas injetadas no interstício depende principalmente do seu diâmetro. As partículas que apresentam diâmetro inferior a 10 nm são absorvidas, preferencialmente, pelo sistema capilar sangüíneo, enquanto que aquelas cujo diâmetro situa-se entre 10 e 50 nm, como o Dextran 500, são rapidamente transportadas através dos vasos capilares linfáticos.

O sistema linfático é uma rede de pequenos canais semelhantes aos vasos sanguíneos (coletores linfáticos), por onde circulação linfa e linfócitos por todo o corpo. Os gânglios linfáticos, que atuam como um filtro para corpos estranhos, estão localizados ao longo desta rede.

A linfocintilografia é, atualmente, o exame de escolha para avaliar o sistema linfático, pois avalia a função e a anatomia do sistema linfático, sendo um método pouco invasivo, de fácil realização e poder ser repetido sem causar dano ao vaso linfático.

Os médicos solicitam linfocintilografia para:
-identificar o linfonodo sentinela, ou o primeiro gânglio a receber a drenagem linfática de um tumor.
-planejar uma biópsia ou cirurgia que vai ajudar a avaliar o estágio do câncer e criar um plano de tratamento.
-identificar os pontos de bloqueio no sistema linfático, como o fluxo de linfa em um braço ou uma perna (linfedema).

A linfocintilografia pode ser interpretada de três maneiras: quantitativa, que avalia o transporte do radiofármaco em relação ao tempo; qualitativa, que analisa visualmente as imagens; e semiquantitativa, que associa dados da dinâmica do transporte do radiofármaco com o tempo de aparecimento da radioatividade.

Exceto as injeções intravenosas, a maioria dos procedimentos de medicina nuclear são indolores e são raramente associada com desconforto ou efeitos colaterais significativos.
Quando o radiofármaco é administrado por via intravenosa, você pode sentir uma sensação fria movendo-se pelo seu membro, mas geralmente não existem outros efeitos secundários.
Para os estudos de linfocintilografia ou linfonodo sentinela, o radiomarcador não é injectado por via intravenosa, mas sim no local do tumor. Como não envolve a dissecção de vasos linfáticos, pode ser utilizado com segurança em crianças e, principalmente, permite o estudo tanto da anatomia quanto da fisiologia da circulação linfática.

Através do processo natural de desintegração radioativa, a pequena quantidade de radiofármaco em seu corpo perderá a sua radioactividade ao longo do tempo. Ele também pode passar para fora do seu corpo através da urina ou fezes durante as primeiras horas ou dias após o teste. Você também deve beber muita água para ajudar a lavar o material radioativo para fora do seu corpo como instruído pelo pessoal de medicina nuclear.

Jaqueline Munaretto Timm Baiocchi
Mestranda em Oncologia subárea linfedema pelo A.C Camargo Cancer Center
Especialista em Fisioterapia Onco-funcional pela ABFO-COFFITO
Especialista em Fisioterapia Oncológica e Hospitalar pelo A.C Camargo Cancer Center
Formação Internacional em terapia linfática Vodder , Leduc e Godoy
Especialista em Saúde Baseada em Evidência pelo Hospital Sírio Libanês
Especialista em Saúde da Mulher pela USP
Especialista em Acupuntura pelo CBES
Especialista em Fisioterapia Respiratória e UTI pelo A.C. Camargo Cancer Center
Coordenadora científica e de cursos do portal Oncofisio
Diretora da clínica Fisio Onco www.fisioonco.com.br

Newsletter

Preencha seu e-mail e receba as novidades do Instituto Oncofisio em seu e-mail!

© 2010/2017 - Oncofisio: Todos os Direitos Reservados

O conteúdo deste site tem objetivo estritamente informativo. Em hipótese alguma substitui a consulta ou tratamento médico e fisioterapêutico.

Em caso de dúvida, procure seu médico ou fisioterapeuta.

Endereço: Rua Joaquim Távora, 303 - Vila Mariana (CEP: 04015-000) - São Paulo - SP

Telefone: (11) 3255-4727

Desenvolvido por:

Grupo Uebtech - Soluções Empresariais